quinta-feira, 18 de novembro de 2010

António Barreto: Fotografias

capa do livro

António Barreto (Porto, 1942), ex-ministro, sociólogo e fotógrafo com mais de 40 anos de exercicio.
Pela primeira vez expõe os seus trabalhos. "António Barreto:Fotografias, 1967/2010" mostra-nos 40 imagens dos mais de 10 mil negativos que o sociólogo produziu.
A exposição está patente na Galeria Corrente d`Arte (Av. Dom Carlos, 109 - Lisboa), até ao dia 30 de Dezembro.
Foi também publicado pela editora Relógio d`Àgua um livro com mais de 200 fotografias, que documentam momentos como o desembarque , em Lisboa, de soldados portugueses regressados da Guiné, ou a exploração social e a pobreza em países como a Bolívia, Brasil, Perú e Venezuela ou ainda de imagens de visitas que fez a França, Egipto, Alemanha. O Douro também nos é mostrado já que foi aqui que o fotógrafo "viveu a sua infância entre escarpas e vinhedos".
Diz Barreto: "Fico com a impressão de que passeei pelo mundo, cidades e campos, homens e mulheres, sempre distante. Parece que nunca pertenci. Que nunca fiz fotografias ´de dentro´ , que nunca me integrei. Em frente, atrás ou ao lado, mas sempre distante".
António Barreto é co-fundador e presidente da APPh - Associação Portuguesa de Photographia, criada em 2007.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Fundação Saramago vai lançar "Retratar um livro"

" Nome de Guerra" foi escrito por Almada Negreiros, em 1925. É um romance de iniciação de Antunes, um jovem provinciano oriundo de família abastada. Quando é enviado para Lisboa pelo seu tio Luís ao cuidado de D. Jorge, seu amigo, tido como " bruto como as casas e ordinário como um homem", com o propósito de o educar nas "provas masculinas" não imaginava o final da aventura.
Antunes concluiu rápidamente que "o corpo nú de mulher foi o mais belo espectáculo que os seus olhos viram em dias de sua vida", decidindo-se a perseguir Judite. Esta "via perfeitamente que o Antunes não estava destinado para ela", mas "não lhe faltava dinheiro e o dinheiro é o principal para esperar, para disfarçar, para mentir a miséria e a desgraça". A história termina com a frase "não te metas na vida alheia se não queres lá ficar".
Brevemente a Fundação José Saramago vai lançar o Prémio de Fotografia Retratar Um Livro. A ideia é que ao lerem um livro, os leitores encontrem uma imagem e tirem uma fotografia. O primeiro desafio vai ser "Nome de Guerra".
As fotografias serão expostas depois em diversos locais do nosso País e funcionarão como uma síntese do livro.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

António Banderas expõe no Instituto Cervantes


El secreto
António Banderas

Depois de Nova Iorque, o actor espanhol António Banderas (Málaga, 1960) expõe agora no Intituto Cervantes de Madrid 23 imagens que têm a mulher como tema central.
São imagens que reflectem mitos e referências espanholas como "O barbeiro de Sevilha", "Don Juan Tenório", "La maja desnuda" e "Carmen".
Diz Banderas: " Faço fotografia à muitos anos, mas nunca pensei expô-las. Propuseram-me uma sessão especial de fotografia e o resultado está aqui".
A exposição "Segredos sobre negro" pode ser visitada até ao dia 21 de Novembro, seguindo depois para Buenos Aires (Argentina).

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Negativos atribuídos a Ansel Adams

Continua a saga sobre a autenticidade dos negativos atribuídos ao fotógrafo americano Ansel Adams.

Pode ler no Público matéria sobre este assunto.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

"Filhos do oceano", de Javier Teniente

Pormenor da exposição

Um projecto que durou de 2004 a 2009, apresenta-se agora com o título "Filhos do oceano". São 76 fotografias de Javier Teniente obtidas em 16 lugares diferentes de cinco continentes.
São imagens da pesca tradicional, entre as quais a arte xávega (Portugal) "que retratam a forma de viver destas comunidades, históricamente dependentes da exploração racional da pesca e que, na actualidade, encaram o futuro com preocupação, porque o mar começa a sofrer dos efeitos da intervenção do homem ..."
Javier Teniente (Vigo, 1968) começou como fotógrafo nos periódicos Atlântico Diário e Faro de Vigo. Ganhou por duas vezes o prémio Luís Valtueña de Fotografia Humanitária (2003 e 2005), ganhou o Prémio Galiza de Comunicação (2004) e uma menção especial do Prémio Ortega e Gasset de Jornalismo (2006).
A exposição depois de passar pela Corunha e Santiago de Compostela. pode ser visitada no Museu do Mar da Galiza (Av. Atlântida, 160 - Vigo), até ao dia 9 de Janeiro de 2011.
Estará patente em Pontevedra, entre 27 de Janeiro e 27 de Março de 2011.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

"Street Photografy" de Rui Palha

"Street Photografy" de Rui Palha (1953), foi lançado no passado dia 8 de Outubro. Tem 240 páginas com fotografias a preto e branco e pode ser adquirido na Livraria Barata (Av. de Roma, 11a - Lisboa) por €50.
Rui Palha que começou a fotografar aos 13 anos, gosta de se intitular "completamente amador" e diz que o mérito das suas imagens pertence inteiramente aos seus modelos de rua, pois são eles que dão alma e genuinidade ás suas fotografias.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Virxilio Vieitez em retrospectiva

Fermin com os seus filhos Avelino, Bautista e Pepiño
Soutelo de Montes 1957
Virxilio Vieitez

Uma exposição retrospectiva do fotógrafo galego Virxilio Vieitez (Soutelo de Montes, Pontevedra, 1930-2008), pode ser vista no Museu de Arte Contemporânea de Vigo, até 24 de Abril de 2011.
São 261 fotografias a preto e branco e 32 a côr , mais de metade sendo trabalhos inéditos, numa selecção comissariada pela italiana Enrica Viganò.
Da exposição foi editado um catálogo que inclui textos de vários autores, como a historiadora Naomi Rosenblum, que situa o fotógrafo no contexto internacional, um ensaio literário do escritor António Lucas, uma análise histórico-antropológica de Ramon Villares e ainda um texto da comissária Viganò.
Depois de Vigo a exposição estará patente em Madrid.